Chapadão do Sul | Da Redação/Com Perfil News | 19/11/2013 11h12

Morre no Pronto Socorro do Hospital Municipal operário que levou tiro no pescoço

Compartilhe:

Sidney Borkuca, o rapaz alvejado com um tiro na artéria carótida, não suportou a perda de sangue e morreu logo após dar entrada no Pronto Socorro do Hospital Municipal de Chapadão do Sul. A polícia trabalha com a hipótese do crime ter sido praticado por vingança, mas ainda não capturou o atirador. Logo que deu entrada no Pronto Socorro ele já sofreu uma parada cardíaca. Testemunhas que estavam no local disseram que foram ouvidos dois estampidos de arma de fogo e um rapaz foi visto com um revólver na mão correndo pela rua São Lourenço em direção às torres de telefonia próximas do “Piscinão”.

Já o Corpo de Bombeiros confirmou que apenas uma bala atingiu a vítima na artéria carótida, uma das mais importantes na função de bombear sangue do coração para o corpo. Muito sangue foi perdido ainda no local do disparo, dificultando uma ação mais efetiva do socorro. Funcionários do Hospital Municipal tiveram que lavar o sangue da ambulância. A esposa do pedreiro também esteve no local dos tiros e está no hospital, juntamente com uma criança de colo. As polícias Militar e Civil fazem diligências em vários pontos da cidade em busca do atirado.

A vitima trabalhava nas obras do futuro Lava Jato que está sendo construído na esquina da rua São Lourenço com a Dezesseis. Segundo testemunhas o atirador chegou de arma em punho com a intenção de eliminar o pedreiro. Dentro da ambulância ele ainda conseguiu dizer aos socorristas do que “iria morrer porque” porque perdia muito sangue.

Compartilhe:

GALERIA DE FOTOS

Mais galerias

BOLSÃOMS TV

Mais vídeos

PARCEIROS